Cuidado ao emprestar seu nome

Quem de nós não conhece aquela história que “Fulano” emprestou o nome para o “Sicrano” financiar um apartamento ou abrir um negócio. Mas acabou ficando no prejuízo, pois o Sicrano não pagou o financiamento de forma certa, fazendo com que o Fulano tivesse muitos problemas, inclusive até ter que arcar com a dívida, afinal ele emprestou o nome confiando na integridade do amigo. Não é mesmo?

 

Histórias como essa, por mais delicadas que possam parecer, são muito comuns e, infelizmente em sua maioria, não terminam com o final feliz. Por isso, nesse texto, vamos apresentar algumas dicas para você tomar muito cuidado ao emprestar o seu nome e quais são as consequências dessa ação.

Cuidado com as boas intenções-Ter amigos e família é muito bom, divertido e você não se sente sozinho. Porém, você deve prestar bastante atenção com quem você terá boa vontade. Eu sei que é legal ajudar as pessoas que amamos, mas devemos ter cuidados ao emprestar o nosso nome.

De acordo com o SPC Brasil e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 1 em cada 10 brasileiros contrai dívidas por emprestar seu nome para terceiros. Assim como, 6 em cada 10 brasileiros não sabem o valor do empréstimo feito pela outra pessoa.

O bom coração do brasileiro com a sua vontade em querer ajudar acaba resultando em sérios problemas para si.

Fique atento-Tudo começa quando uma pessoa muito próxima de você decide adquirir um bem, seja carro, ou imóvel, ou investir em abrir o próprio negócio, mas não tem crédito para aprovar o financiamento. Ou seja, por vários motivos, na maioria das vezes, confiamos demais e não atentamos nem avaliamos bem as pessoas que nos solicitam esse favor. Quando alguém está pedindo o seu nome emprestado para um financiamento, o mínimo que você deve fazer é levantar os dados dessa pessoa, ver o porquê ela não conseguiu o financiamento com seu próprio nome.

Após esse levantamento, você terá a oportunidade de decidir com mais clareza se empresta o seu nome. E com isso, você deve assumir a responsabilidade dessa situação.

Nossos pedidos

Os riscos e as consequências de emprestar o seu nome:

  1. O grande risco é se a pessoa para quem você emprestou seu nome, não honrar com a dívida. Com isso, haverá a inclusão do seu nome em cadastros de instituições de proteção ao crédito, como SPC ou Serasa-Experian. É exatamente aí que mora o perigo, pois é o seu nome que está em jogo.
  2. Com o nome restrito, ou seja, “sujo”, se você ainda é jovem e não possui patrimônio, pode ser que quando você desejar financiar algo para você, não seja possível. Desse modo, você fica impossibilitado de adquirir a sua casa própria, o financiamento de um veículo, a contração de um empréstimo, a aquisição de um cartão de crédito. Segundo as estatísticas, 7 em cada 10 brasileiros não conseguiram um novo cartão de crédito ou cartão de uma loja após “sujarem” seus nomes com instituições financeiras.
  3. Também há situações quando não é possível contratar dois financiamentos simultaneamente, isto é, mesmo que a pessoa esteja pagando a dívida corretamente, você não poderá fazer um financiamento para si próprio.. Por determinação legal, nenhuma pessoa pode ter mais do que 30% de sua renda comprometida com empréstimos. Caso a pessoa para quem você vai emprestar o seu nome já possua um financiamento de imóvel em aberto, é necessário verificar o quanto da renda já está comprometida. .
  4. Você será cobrado judicialmente, ou seja, cobrança via processos judiciais dos credores, ocasionando uma tremenda dor de cabeça, sem contar que para se defender você terá que ter um advogado, resultado: mais custos. E em muitos casos, eu já vi pessoas perderem seus bens por conta dessa situação.
  5. É comum as pessoas ficarem estressadas nessa circunstância, com as emoções à flor da pele, podem ocorrer discussões calorosas, resultando, provavelmente, no fim da amizade Sendo assim: emprestar o seu nome gera o risco de perder o amigo, o dinheiro e ainda ficar com o “nome sujo” na praça. Lembre-se nem todos são iguais a você, mesmo que a pessoa precise muito, analise o seu comportamento em relação ao dinheiro, se ela é uma pessoa séria e honrada e paga suas contas em dia. Por que ela não tira o empréstimo, abre a empresa ou financia um imóvel em seu próprio nome?

Em muitos casos, a pessoa que te solicita tem dificuldade para comprovar a renda ou ela está abaixo do exigido para o limite de crédito pretendido, ou já possui restrições ao crédito, está com o nome sujo, sendo assim, qual a garantia que essa pessoa não vai colocar o seu nome no SPC também?

Estima-se que em torno de 15 milhões de consumidores brasileiros estão inadimplentes por terem emprestado o nome para terceiros. Por isso, para evitar esse tipo de desconforto, é melhor dizer não.

Seja amigo e parceiro de forma correta, oriente a pessoa que quer fazer o financiamento a fazê-lo em seu próprio nome. Assim você não correrá o risco de perder o seu patrimônio e de pôr fim à relação por atrasos.

Além disso, você também pode ajudá-la a fazer um controle financeiro eficaz, existem hoje no mercado diversas plataformas que fazem isso muito bem de forma simples e segura, como a Teu controle, que é muito fácil de usar.

E lembre-se que para ter sucesso financeiro, o planejamento é o primeiro passo.

Outras publicações

dolar não é investimento

Dolar não é investimento

Em tempos de crise torna-se comum o desejo das pessoas por investimentos em moedas estrangeiras, principalmente o dólar por sua relevância em comparação a nossa moeda e a poder do…
Qual tema você tem curiosidade?Vote aqui para nos ajudar a escrever mais textos para você!

Deixe seu comentário, sua participação é essencial para que possamos escrever conteúdo de acordo com sua necessidade.

Obrigada por ter lido nosso post até o fim

Por Rosielle Pegado

Visite:

Biblioteca
Cursos
Planilhas, Ebooks e cursos
Serviços
Contato

Deixe uma resposta